sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

ºº Embriaga-te ºº


Os Bêbedos, José Malhoa

Devemos andar sempre bêbedos. Tudo se resume nisto: é a única solução. Para não sentires o tremendo fardo do Tempo que te despedaça os ombros e te verga para a terra, deves embriagar-te sem cessar.

Mas com quê? Com vinho, poesia ou com a virtude, a teu gosto. Mas embriaga-te.

E se alguma vez, nos degraus dum palácio, sobre as verdes ervas duma vala, na solidão morna do teu quarto, tu acordares com a embriaguez já atenuada ou desaparecida, pergunta ao vento, à onda, à estrela, à ave, ao relógio, a tudo o que se passou, a tudo o que gemeu, a tudo o que gira, a tudo o que canta, a tudo o que fala, pergunta-lhes que horas são: “São horas de te embriagares! Para não seres como os escravos martirizados do Tempo, embriaga-te, embriaga-te sem cessar. Com vinho, com poesia ou com virtude, a teu gosto”.


[Charles Baudelaire] in “O Spleen de Paris”

6 comentários:

Samires França disse...

Vou embriagar-me de poesia e virtude ! Foram as garrafas que encontrei por aqui. Verdadeira adega de boas idéias !
Aproveito (demorei..) para agradecer sua visita em meu blog. Obrigada pelas palavras !
Abraço

D.Ramírez disse...

Coom vinho..ick...
Ou champagne..ick...
Embiago-me tbm pelos textos aqui apresentados. Ah, e viverei embriagado pq adoro aqui...ja te falei isso é?
Besos

João Gil disse...

Uma vez li de um tal Bernardo Soares.

"Se um homem escreve bem só quando está bêbado dir-lhe-ei: embebede-se. E se ele me disse que o seu fígado sofre com isso, respondo: o que é o seu fígado? É uma coisa morta que vive enquanto você vive, e os poemas que escrever vivem sem enquanto."


http://ponto-travessao-perdao.blogspot.com/

A. disse...

Samires?
Há aqui qualquer confusão porque nunca fui ao teu blog.

Embriaga-te com poesia e virtude, sim!
:))
jinhos

A. disse...

D.Ramírez,
Ainda bem que gostaste.
Beijos

A. disse...

João,
Ri-me com o que aqui deixaste escrito.
:))
Beijos