quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Qualquer Coisa, me Chame!!!

Esse é um grito, um apelo, um confessionário de alguém que leu muito Nietzsche e comeu poucas mulheres (não que uma cousa implique em outra)
Estou gostando de ser apresentado assim a novos blogs, de onde vejo com estupor falarem de temas para mim tão descomplicados -- mulher, para os Nietzschianos, ou é falsa ou é deusa --, e, acho muito bonito tudo isso. Apenas peço-me que escrevam mais e publiquem mais, e interem minha pessoa dentro de tudo isso.
A iniciativa do Aluísio é nobre, e, precisamos -- com certeza -- de mais e mais poetas como ele; não importa o que digam os acadêmicos; Aluísio, você é grande!, eu é que vejo tudo isso com muito entusiasmo mas pouca empolgação.
E carrego esse descarrego com muita raiva, e, como o Mestre Cartola, "Levantei as mãos ao céu, blasfamei"

Retirem-me do incalco dos "grandes" poetas de pequenos textos e vamos nos elevar ao sincero despreparo da criança freudiana que é o adulto dentro de nós, esse ser que chora cada vez que depara-se com uma cousa com a qual não se identifica!

Abraços a todos!

Petro!!!

Um comentário:

aluisio martins disse...

Pedro, é muito ter você por aqui. Bem pode estar onde bem desejares. Como não comeu muitas mulheres? Tuas palavras são completamente fodas - comem até as mortas disfarçadas de rotina.