domingo, 28 de setembro de 2008

NOITE LONGA


A SOLIDÃO É COMPANHEIRA

BATE NO OMBRO

AFAGA A BARBA

ENCHE O COPO

(COM O MESMO ARDOR QUE O ESVAZIA)


A SOLIDÃO É COMPANHIA

DORME AO LADO

VIVE DENTRO

MORRE LONGE


MASA - 24/9/8

3 comentários:

@nA Dundes disse...

eu sei, eu sei...
um só lhe dão um dó!

aluisio martins disse...

Solidão é a amiga mais presente e se a recebermos como presente de vida, saberemos que mais que amiga, ela é mesmo a gente.

Beijo, irmão poeta.

Petro disse...

Afoguei-me no seu último poema.
Ainda não subi à superfície. Acho que foi culpa da solidão.