quinta-feira, 26 de junho de 2008

Má Sorte

Entrando pelo seu portão
está atravessando o lado
para quem estiver no chão
não esquecer para que fado
esquecer que essas linhas
são tão tuas quanto minhas
tirando a sorte, descobri
o que sem fragor era insistir
nas tantas voltas que o mundo dá
o quadro se forma sem fim
do pintor é enquadrar
o remédio dum dia ruim
assim seguindo as regras só se é
enquanto quebrando e dar no pé
é mais ou menos de mim
essa história de apostar tudo
só dá certo com reserva
do outro canto me conserva
inteiro o azar de todo mundo.


PETRO.

Um comentário:

aluisiomartins disse...

Pedro Petro é gênio raro. Meus sonoros vivas è ele. Ainda que, por vezes, sinta-me morto.