domingo, 28 de dezembro de 2008

Quero construir um abrigo
mas não por isso brigo
amar é tão infinito
Sinto cheiro de sorriso
Fingido loucura de tímido
De tal maneira que não grito
Sou seu homem, decerto
Monumento inconcluído
Sem ela viro um deserto
Morro do que não sinto
A poesia me chama mais perto
Com ela pareço bonito
Deixemos tanto asfalto concretro
Diz chega ao que está nos partindo
Corpos celestes no espectro
As nuvens vão sempre despindo
Agora que tudo é incerto
É certo que estamos sorrindo
(aluisio martins)

4 comentários:

Petro disse...

Ótima construção... muito bom Aluísiomartins!!!

MASA disse...

MEU AMIGO LUXUOSO!!!!!!!!!

A. disse...

Muito bom, maninho.:)
Desejo-te um 2009 com tudo de bom!
Bjinhos

Lia disse...

Forte. lindo. Totalmente incerto...Adorei.

Beijooooooooo