sábado, 25 de outubro de 2008

Encontro de Palavras

Ontem sonhei com a palavra amor
E acordei pensando em computador
Telefonei para a palavra orgulho
E recebi um sinal mudo
Sai de casa com a palavra raiva
E dei de cara com uma antiga namorada

Conversamos com a palavra lembrança
Como se fossemos duas crianças
Almoçamos com a palavra saudade
Contando histórias de nossa mocidade
Me despedi da palavra desejo
Com um "tchau", um abraço e um beijo

Peguei o novo número de telefone
Do termo não me decepcione
E logo passei a me encontrar
Com o termo se reencontrar
Mas no nosso encontro seguinte
Encontrei a palavra rinite

Esperei qualquer palavra saudável
Até que ela me ligou, quando estava estável
E então marcamos de sair
Prum canto que precisa se bem-vestir
Sendo que disso eu não sabia
E fui para lá de chinelo, bermuda e agonia

Rindo, procuramos um outro canto
Um que tenha as palavras simples e encanto
Achamos numa esquina do Benfica
Um barzim de palavras paz e calmaria
Fomos atendidos por um garçon simpático
De palavras careca, alegre e extremamente pálido

Sei que agora estou muito feliz
Com a palavra... como é mesmo que se diz?
Não tou conseguindo identificar
Vou atrás da palavra pesquisar,
Começando pelo computador...
Lembrei! Acordei com a palavra amor!

C. A. Ribeiro Neto



* Pois bem, se me convidaram, eu aceito o convite!
www.caribeironeto.blogspot.com

2 comentários:

aluisio martins disse...

muito boa sua po-ética, amigo novo. Gente-poeta como você é sempre bom ter por perto. Vamos alargando o mundo bem, sem interessar a quem, certo?

Grande abraço

Petro disse...

Queria fazer um apelo.

Sem neuras, sem neuras...

Queria encorajar, ou seria instigar aos fazedores desse site que escrevam mais e mais...

Esse blog merece crescer, potanto, escreva!!! Faça um comentário, meta o pau! Reclame, polemize!

Petro.