sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Boca Boa de Beijar

Levanta tua saia
dentro, sua laia
é de uma tralha
sou o que trabalha

Já no fim do dia
à tarde, poesia
clarifica e é sadia
como sua companhia

Outro beijo roubado
da sua boca muito boa
desse seu jeito enjoado

soletro no céu classudo
da tua boca, um beijo sexuado
que sobe e deixa-me mudo.

PETRO.

Fortaleza, 29/09/08

4 comentários:

aluisio martins disse...

Que tua arte insista e sobrevoe essa sobrevida pequena que desistimos dia-adia. Não adie o encontro do leitor que te precisa e espera. Ouse menos que poesia e já serás imortal, amigo.
Nada somos além que pequenos Deuses, em forma e conteúdo. Portanto, tudo nos cabe e cabemos em tudo.
Sou feliz de poder ler Pedro-Petro e toda a gente neste.

Petro disse...

ACro, Amigo....
Você me deixa envergonhado com tamanhos elogios... não sou um deus não... sou de carne e osso...
Mas dizer que não gosto de ser lembrado por figura tão querida e tão claro escritor que entende o meu espírito, aí estaria mentindo...
Continuemos.. Ambos Anjos e leitores e amigos e primos...
Agradeçe,

Petro!

VIVA o PSIl-EN-CIo!!!

MASA disse...

PUTA QUE PARIU,
FIQUEI MUDO.

C. A. Ribeiro Neto disse...

Com licença eu chegar assim. Acho que só conheço o Aluisio aqui, mas já me dei o direito de postar uma coisinha!

Poesia super interessante, principalmente para quem concorda com seus ditos!

Abraço e vão me desculpando!