quinta-feira, 24 de junho de 2010

À José Saramago

Aqui, um breve adeus. Um tributo simples a uma alma complexa. Um pensador de seu nome, de seu tamanho e largura não cabe em simples adeus, mas precisaria dum livro inteiro para medir sua genialidade, seu bravio linguajar e toda sua importância, não devolvo aqui o que passou-me ele por seus livros, obras caladas, infestadas de problemáticas vigentes, e, vindo duma alma inocente, qual criança que aprendeu a falar em uma língua só sua, um estilo só seu e de uma fantasia que beira o real próximo que se encontra, não. Apenas relato o que conheci dessa grande personalidade. José Saramago, patrício de alma portuguesa, ateu e dito comunista, grande nome, grande pessoa, grande escritor, se algum dia entendi o que foi dito por ti, espero nesse breve ínterim conseguir transmití-lo, com humildade e muito carinho no coração que se eleva para achar-se mais próximo de ti.

Ao grande escritor português,

Petrecostal.

Um comentário:

A. disse...

Um grande escritor, sem dúvida alguma!
Obrigada por te teres lembrado dele.
Bjs
Ana